Sábado, 8 de Maio de 2004

Hoje perdi a virgindade!

Olá amiga. Aqui estou para te contar uma conversa interessante que tive com o Luís. E as conclusões a que cheguei.

Hoje o Luís veio ter comigo e eu contei-lhe do Tiago. Disse-lhe assim: sabes Luís, tenho uma coisa para te contar. Já somos amigos vai para 13 anos, e ando com uma coisa para te dizer e... acho que te vou contar hoje.
- Ah sim? – disse ele.
E continuou a conduzir com aquela calma típica dele, a fazer comentários disparatados sobre tudo o que lhe aparecia à frente do carro e tinha cara de mulher, enquanto ria dele próprio.
- Então conta lá.

- Bem, já te tinha dito que havia uma pessoa na minha vida, não já?
- Sim, e daí? Olha, só tenho pena que essa pessoa não seja eu!

Sorri. O Luís está constantemente a meter-se comigo mas eu não lhe ligo nenhuma. Continuei:
- Pronto e essa pessoa que há na minha vida, ele... bem, ele é casado.
Eu nunca te contei, mas ele é casado.
- Ah é?, perguntou o Luís. E daí?
- E daí........ daí o quê?...
- Então e o que é que me querias contar?
- Oh Luís, acabei de te contar: ele é casado! Porra! C-A-S-A-D-O!!!
- Então era só isso? Oh miúda, então, mas isso é normalíssimo. Tu quantos anos é que tens?! Então, com trintas e tais não sabes que mais de metade das mulheres casadas deste mundo anda com homens casados, e que mais de metade dos homens casados deste mundo anda com mulheres casadas? Não sabes que uns são mesmo casados, mas esses, minha amiga, são a esmagadora minoria, e outros são assim-assim???!!! Oh querida, isso é o pão nosso de cada dia!

Fiquei mesmo muito espantada com a reacção do Luís. Já te tinha contado, ele é muito brincalhão, mas por debaixo daquele ar de gozo com a vida, está um homem muito conservador.

- Então não estás desiludido aqui com a tua amiga?
- Desiludido??? Oh querida, então mas eu ia ficar desiludido contigo por causa duma coisa dessas? Eu cá acho é bem! Sentes-te bem com ele? Fazem umas maluqueiras e tu tens uns belos duns orgasmos? É pá! Boa! Ainda bem para ti!
- Mas ó Luís...
- Qual “ó” qual carapuça! Faz-te bem e tu precisas. Ficava era preocupado se uma mulherça como tu, me dissesse que há uns anos não... pronto! Isso é que me preocupava porque sou teu amigo. Agora uma coisa dessas, eh!

E encolheu os ombros a sorrir.
Eu estava cada vez mais espantada. Então ele parou num semáforo vermelho e essa paragem deve tê-lo conduzido a uma interrupção mental. Disse:

- Ouve lá, agora uma coisa já sabes: isso é uma relação sem futuro.

E eu pensei: chegámos ao ponto, alcançámos a ferida! Vai começar!

- Sim, eu sei disso.
- Então se sabes e continuas, pronto, óptimo para ti!

O carro continuou a rodar por entre o trânsito. O Luís parecia muito tranquilo com aquela conversa. Eu diria mesmo que era um assunto banal para ele. Mas amiga, eu sei que o Luís é mesmo muito conservador. É um homem casadíssimo, pai de 3 filhos, chefe de família, daqueles mesmo fiéis. E muito meu amigo. Pronto, não deixa de lançar a escada para cima de mim mas eu acho (tenho a certeza) que ele faz aquilo só para manter o ego de macho a uma temperatura agradável. Por isso, até àquele ponto, eu estava mesmo surpreendida. Até que comentei:

- Mas Luís, eu gosto dele. Eu gosto mesmo muito dele!

Senti o carro fazer uma travagem brusca. O Luís olhou para mim e replicou:
- O quê??? Gostas? Mas gostas como?
- Sei lá... gosto... amo...
- Pronto, vocês mulheres, mandam uma queca e começam logo a baralhar tudo! Eu percebo, estavas carente, sentiste-te atraída e tal, mandaste uma e pronto... Agora estás aí a sofrer. É pá, não podes, isso é uma coisa que é para curtires, para te dar alguma satisfação na vida, estás a perceber? Não é para te envolveres! Mas se gostas.... olha... não sei o que te diga... Há quanto tempo é que andam?
- Mais de 2 anos... Vai para 3...
- Mais de 2 anos?!... Olha, ele deve gostar de ti, deve sentir-se bem contigo, senão isso já tinha rebentado pelas costuras. Olha, sabes que mais? Que tens a perder? Nada! Estás a fazer mal a alguém? Não. Estas a fazer mal a ti? Não. Gostas de estar com ele? Gostas. Então, olha filha, mantém isso que te faz bem à pele. É uma relação descartável, é certo, mas desde que te sintas bem!
- Pois...

De repente, percebi que estava com lágrimas nos olhos. Eu?! Eu sou descartável?

- É pá, não sabia, queridinha, que estavas assim... que gostavas do tipo assim. Agora se me dizes que amas...!
E o Luís suspirou.

Amiga, naquele momento, sabes o que senti? Senti vontade de ir para a cama com o Luís, por muita repulsa que isso me pudesse causar. Mas é que gostava mesmo de saber qual é a sensação de ir para cama com um homem de quem não se gosta. Quer dizer: eu gosto do Luís! Mas não é para isso, percebes? Gosto de conversar com ele, de desfrutar dessa amizade que é uma coisa muito simples. Nunca pensei em ir para a cama com o meu amigo! Nem em ir para a cama com uma pessoa que não me tocasse no coração.

Sabes outra coisa que senti?
Senti que nunca mais vou conseguir confiar em ninguém. Afinal, andamos todos embrulhados uns com os outros e fazemos de conta que não sabemos. Quer dizer: ignoramos, ou tentamos ignorar, o quanto uma relação pode afectar as nossas emoções, tanto pela positiva, como pela negativa. Segundo a maioria, é preferível não pensar nisso, e manter o resto, quer dizer, o sexo, só pelo bem que faz à pele...

O meu ex também andava não sei com quem, e só quando eu descobri é que ele assumiu que sim, que era isso. Não era nada por causa da depressão que ele não fazia amor comigo. Lembras-te dessa depressão dele? Deitava-se cedíssimo e desaparecia por umas tardes a pretexto de querer estar sozinho... Andava era desgastado por outros motivos, coitado do moço. Enfim, nessa época, desempenhei o papel de mulher traída.
O Tiago anda comigo há 3 anos e a dita... bem, ou não sabe, ou finge que não. Ela também terá alguém???

A falta de sentimentos e valores nestas relações de desgaste rápido faz-me confusão. Preciso de encontrar um equilíbrio...

Sabes uma coisa? Eu pensava que as relações entre as pessoas eram mais... mais transparentes. Julguei que havia amor a circular por ai. A sério. Como é que é possível que somente após os 30, depois de me divorciar, tenha compreendido o que se passa lá fora?! Julgava que ia encontrar o mundo como o deixei quando casei, ainda era nessa altura quase uma mocinha...

Sabes outra coisa??? Sinto que hoje me tiraram a virgindade, porra!

Olha, depois falamos melhor. Tenho de ir fazer o jantar para as crianças. Beijos.
publicado por floreca às 01:07
link do post | favorito
De Priapo a 9 de Maio de 2004 às 02:43



Mas tu pensas que já sabes o que se passa lá fora?

Desengana-te filha: simplesmente acabaste de vislumbrar um bocadinho dessa realidade.

Abriste agora a porta, o que já não é mau.

Entra, aproveita.

Mal sabes o que te espera...




Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Actualizar...

. Lá terá de ser...

. Estamos de volta

. Cumprir calendário...

. Pausa

. Mais uma mudança

. SORTE OU NÃO

. Postais ilustrados - 4

. Esta carta é dirigida aos...

. MIMO

.arquivos

. Maio 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Dezembro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds