Terça-feira, 18 de Maio de 2004

querida avó

já há bué de tempo que não vens passar uns dias cá a casa. tenho saudades tuas. tenho saudades dos jogos de damas e dos de cartas em que me deixas sempre ganhar. tenho saudades das tuas sestas, sentadita no sofá, em que eu vou de mansinho ligar a televisão, e tu nem dás conta. tenho saudades de ver a novela dos morangos com açúcar contigo. os meus pais não percebem nada de novelas... tu sim. tenho saudades de te ler as minhas composições da escola. tu gostas sempre de tudo. achas sempre que estão lindas as minhas composições. se fosses minha professora, eu tinha cinco a tudo, na boa. tenho saudades de lancharmos os dois, bolos de creme, mesmo, mesmo antes do jantar. tenho saudades de quando tu dizes, podes jogar o teu jogo de consola, mas não ponhas muito alto, querido, eu acho muito bonito. e eu, jogo na boa, e tu fechas os olhos e dormes outra sesta. tenho saudades que tu digas que eu sou o neto mais inteligente e mais bonito que tu tens. eu até sei que dizes o mesmo aos outros, mas eu gosto de ouvir.
curto bué quando estás cá em casa. tenho saudades de falar contigo. tenho saudades do teu sorriso meiguinho das tardes em que estamos só os dois aqui na sala. sabes que agora a moda lá na escola é escrever cartas de amor uns aos outros? acho que só o fazem para irritar a professora. achas que isto é coisa que se faça num local público? e são estes os jovens que vão ser o futuro... o futuro vai ser mesmo estúpido, não achas? mas o que vai ser fixe, é que no futuro, vou poder conversar contigo de tudo. tu até sabes bué de coisas. às vezes até as dizes de boca fechada. mas eu percebo-te avó.

teu neto querido.
Zé.
publicado por floreca às 22:02
link do post | comentar | favorito
7 comentários:
De encandescente a 19 de Maio de 2004 às 12:28
e eu tenho saudades da minha avó:( a ternura que ela me dispensava apesar do ar sério. ela dava sempre um beijo com o ar sério de quem faz uma coisa muito importante. a ralhar ria. era uma mulher que conhecia as prioridades. desculpa a divagação :) gostei muito


De MWoman a 19 de Maio de 2004 às 09:28
Linda esta carta...o meu filho teve a felicidade de crescer com o amor e ternura de duas avós assim e ainda hoje com catorze anos continua a querer dormir em casa delas...lá o tempo pára e ele é realmente o melhor neto do mundo!Beijos


De Dora a 19 de Maio de 2004 às 01:18
Que bonitas palavras de orvalho e cristal, Lolita


De atuaLolita a 18 de Maio de 2004 às 22:57
almar, a carta foi escrita por si só, digitada pelo quotidiano dos dias. obrigada:-)


De almar a 18 de Maio de 2004 às 22:37
Coisa doce esta tua carta! Enquanto somos crianças ou mesmo adolescentes, os(as) avós são uma fonte inesgotável de ternura e compreensão. beijinhos


De atuaLolita a 18 de Maio de 2004 às 22:31
ognid ... :-)


De ognid a 18 de Maio de 2004 às 22:22
acho que acertaste na mouche com esta. Tenho uma sobrinha que adora estar com a avó a ver os morangos com açúcar e a fazer no fundo quase tudo o que aqui descreves. E que bom que é para as crianças poderem ter avós para partilharem essas coisas e serem, netos e avós, bem mais felizes.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Actualizar...

. Lá terá de ser...

. Estamos de volta

. Cumprir calendário...

. Pausa

. Mais uma mudança

. SORTE OU NÃO

. Postais ilustrados - 4

. Esta carta é dirigida aos...

. MIMO

.arquivos

. Maio 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Dezembro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds