Quarta-feira, 21 de Julho de 2004

A carta possível...

Mãe, estou tão só como da última vez que te escrevi. Talvez mais. A solidão é uma coisa rude que se adensa só de pensarmos nela. E nestes meses pouco mais tenho feito que pensar.
Quanto tempo passou desde a última carta? Um ano, ou mais, já nem sei. Deixei de contar os dias. Agora conto apenas as lágrimas. Sim, mãe, é possível contar as lágrimas. Tão possível como os grãos de areia. Basta reduzir a praia a um dedal. Basta não chorar todos os dias, mas apenas quando a dor é insuportável. Pois, tens razão, a minha dor é insuportável, mas tornei-me madeira, estou seco e já não sinto.
Lembraste do berço que nos ofereceste? Esse mesmo. Aquele com o nome da tua neta gravado. Durante a noite embalo-o, canto o papão, e a minha voz disfarça o ranger das tábuas com falta de uso. O berço continua vazio, mãe. O berço esteve sempre vazio. A minha filha nunca chegou a nascer. A minha mulher, a mulher que eu amei, levou-a na barriga. A casa está cheia de ecos, e olha que eu não falo durante todo o dia. São ecos absurdos de um tempo que parou.
Não sei se voltarei a escrever, mãe. Quem sabe se, no dia em que me leres, estas linhas não serão o que resta da minha voz, o que resta de mim. Mas não sofras, mãe, não chores. Inúteis são as lágrimas que não se podem contar.
publicado por floreca às 00:34
link do post | comentar | favorito
16 comentários:
De Elisa a 28 de Julho de 2004 às 12:19
Agradável descoberta do meu passeio pela blogosfera. Custa de facto ler a intensidade do teu texto.... mas como é bonito!Adorei!!


De Rui Guerreiro a 25 de Julho de 2004 às 17:23
Anna: E serás sempre bem vinda. Volta sempre. Beijos.


De Finurias a 23 de Julho de 2004 às 20:17
O sapo tem a mania ...enfim !


De Anna a 23 de Julho de 2004 às 12:13
Que texto mais lindo esse!Me emocionei pra caramba!
Descobri esse blog antes de ontem e já o adicionei em meus favoritos...com certeza todos os dias passarei por aqui pois é um blog muito gostoso e tocante!
Parabens!


De Rui Guerreiro a 23 de Julho de 2004 às 01:11
wind: ahhh!!! :) Ok, ok! Bem, fico feliz por isso... Beijos grandes.


De wind a 22 de Julho de 2004 às 19:14
Finalmente Rui posso responder-te: "testamento" foi o que fiz»»» escrever muito! ok? :)


De Rui Guerreiro a 21 de Julho de 2004 às 14:27
atuaLolita: É! Eu também fui reler o texto e gostei dessa frase... eheh... às vezes saem e eu nem reparo nelas. Beijo grande.


De Rui Guerreiro a 21 de Julho de 2004 às 14:26
Marta Teixeira: Ainda bem que gostaste! Um abraço também para ti :)


De Rui Guerreiro a 21 de Julho de 2004 às 14:25
Betty: Obrigado! Beijo.


De Rui Guerreiro a 21 de Julho de 2004 às 14:24
wind: eheheh... um testamento?!? :) Beijos.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Actualizar...

. Lá terá de ser...

. Estamos de volta

. Cumprir calendário...

. Pausa

. Mais uma mudança

. SORTE OU NÃO

. Postais ilustrados - 4

. Esta carta é dirigida aos...

. MIMO

.arquivos

. Maio 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Dezembro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds