Terça-feira, 27 de Julho de 2004

A Carta

Meu amor

Escrevo-te a Carta. A Carta que leva dentro o último raio de sol do dia de sempre. Já te disse todas as palavras que conheci, já escrevi todos os poemas de amor que inventei para ti, já encenei todas as poses coloridas que as minhas personagens me ensinaram.
Escrevo-te a Carta. A Carta que nada mais pode acrescentar a tudo que te contei, por isso será inútil, como uma carta de amor, tão ridícula, como as do Poeta. Não te posso escrever uma Carta de Amor, porque te declarei mil vezes um “amo-te” feito de luzes, cores e estrelas. Deste-me a luminosidade da lua e eu dei-te todo o brilho do meu olhar. Deste-me o sonho de magia e eu dei-te metáforas sem fim. Deste-me o teu humor delirante e eu dei-te poemas tantos, com que encho as gavetas de mogno da minha memória. Deste-me um desenho a cores e eu reinventei os seus contornos. Deste-me a tua genialidade e eu cresci para lá de ti…
Leste o “Fazes-me Falta” da Inês Pedrosa? Sei que não lês livros, mas este livro leu-nos a nós. Porque nunca fomos amantes, amei todos os homens que quis, de olhos fechados. Porque nunca te tive, possui todos os corpos que tinham a sombra do teu. E porque nunca fomos amantes, sempre te contei de mim e dos homens que te substituíam…Porque eu estava morta, já, como ela…
Escrevo-te a Carta. Porque já não tenho mais poemas, meu amor. Porque escrevi a última palavra há tanto tempo…Porque dissemos adeus.

-Até um dia destes – ouvi em sussurro na tua voz de anjo.
-Até sempre, meu amor – ouvi-me a mim dizer…na minha voz de Gaia.
Para que inscrevas esta frase a quente, como uma tatuagem, como uma marca, como a cicatriz que te faço na alma.
Para sempre, meu amor. Sempre... é já ali.
publicado por floreca às 21:15
link do post | comentar | favorito
7 comentários:
De Carla a 29 de Julho de 2004 às 07:20
Emocionei-me de novo... tenho de vir preparada quando te venho ler... Esta carta é tão comovente, abraça e recolhe no colo tanto carinho que o meu coração ficou inundado com o teu. Enquanto houver palavras, o adeus não cabe no amor. Nem numa carta. Gostei do para sempre... que é já ali...


De Betty a 28 de Julho de 2004 às 17:41
O "Fazes-me falta" emocionou-me. Lembro-me que o li num ápice. Tal como a tua carta :)


De MARTA TEIXEIRA a 28 de Julho de 2004 às 08:48
Deixaste a tua marca e nunca será esquecida!!!
Gostei muito. Tem um bom dia. Um abraço
Marta


De LolaViola a 28 de Julho de 2004 às 01:01
A Carta fecha um ciclo. Apenas. Selada. Inviolável. Nunca escrita e nunca lida. Obrigada pelos vossos comentários. Agora foi escrita e lida. Ponto final.


De chOURIO a 28 de Julho de 2004 às 00:27
"A Carta" - filme de Manoel de Oliveira. Para quê complicar?


De Fly_away a 27 de Julho de 2004 às 22:39
A Carta encerra a palavras. Cartas de Amor são ridiculas, mas a Carta, que não é de amor, fica para sempre no adeus.


De wind a 27 de Julho de 2004 às 21:57
Divinalmente belo. :)


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Actualizar...

. Lá terá de ser...

. Estamos de volta

. Cumprir calendário...

. Pausa

. Mais uma mudança

. SORTE OU NÃO

. Postais ilustrados - 4

. Esta carta é dirigida aos...

. MIMO

.arquivos

. Maio 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Dezembro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds