Terça-feira, 22 de Junho de 2004

As de Paus

sem nome1.jpg

Quem, que seja português,
pode viver a estreiteza
de uma só personalidade,
de uma só nação,
de uma só fé?

Fernando Pessoa
publicado por floreca às 18:11
link do post | comentar | favorito
|
12 comentários:
De Lolita a 25 de Junho de 2004 às 10:47
Austro, também há biquinis com a bandeira portuguesa . eheheh


De Austro a 24 de Junho de 2004 às 09:44
Lolita,

A bandeira Portuguesa como saida de praia tambem não acho bem, mas aquelas cuequinhas com a bandeira Inglesa....

Tanto que haveria a dizer sobre os simbolos, icones e outras marcações de terreno.

Não leves a mal este despropósito.

Beijito Lolita


De Dora a 23 de Junho de 2004 às 20:42
Uma ideia fantástica, Lolita! E uma pergunta que nos faz estremecer...


De Nilson a 23 de Junho de 2004 às 18:40
Pergunta complicadíssima mas, no estado em que estão as coisas e eu próprio, a minha resposta é NÃO.


De Lolita a 23 de Junho de 2004 às 14:29
Eu também não tenho respostas para o poema do F. Pessoa. Só sei que gosto muito do meu país, da sua cultura, dos seus escritores, da lingua portuguesa, da música, da história. E dos heróis de todos os dias. E aprendi o que significa uma bandeira. Não gosto de a ver usada como uma saída de praia... desculpem o desabafo.


De Lolita7Violeta a 23 de Junho de 2004 às 14:25
Austro, quem está perdidamante apaixonado Vê-se ao espelho nos olhos da sua paixão. O olhar pára no objecto de desejo. Não há mais nada. Acho eu. Estás perdoado. Apeteceu-te bem. Beijos


De Austro a 23 de Junho de 2004 às 09:54
Quem está perdidamente apaixonado consegue ver para lá do objecto da sua paixão? Admite a existência de algo mais?

Ok. É utópico. Ok. Não tem nada a ver com o poema do Pessoa.

E depois? Apeteceu-me, e pronto.
Peço perdão,


De almar a 23 de Junho de 2004 às 07:51
Os sonhos geniais de Pessoa. Dos seus versos só o "Quem, que seja português" me faz uma certa confusão. Poderia ser "Quem, que pertença à humanidade". Porque não me parece que nenhuma das ambições de alma de que o poema dá conta sejam só apanágio dos portugueses. Beijinhos


De Fly-away a 23 de Junho de 2004 às 01:32
Ser um cidadão do mundo, rir das fronteiras do corpo, marchar sobre lágrimas de imensa solidão, viver dos dias deste Planeta, morrer em tudo que mais além seja, sonhar no Infinito, amar com toda a liberdade, e enfim... finalmente viver...


De ognid a 23 de Junho de 2004 às 00:32
É de resposta difícil, Lolita. Se calhar a nossa alma é mais larga do que isso, na realidade. A nossa história parece mostrá-lo. beijos.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Actualizar...

. Lá terá de ser...

. Estamos de volta

. Cumprir calendário...

. Pausa

. Mais uma mudança

. SORTE OU NÃO

. Postais ilustrados - 4

. Esta carta é dirigida aos...

. MIMO

.arquivos

. Maio 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Dezembro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds