Sábado, 3 de Julho de 2004

Meu querido Stanley

street.jpg

Escrevo para comunicar-lhe que o actor que interpretou a sua personagem na peça e no filme onde nos cruzámos faleceu hoje.


Estava velho, doente, já não era belo como quando assomou da penumbra como o descendente de polacos brutalmente sensual de “Um eléctrico chamado Desejo”. Passou muito tempo, para os mortais, sabe? Longe vão os momentos em que a sua masculinidade trágica fazia estremecer de desejo os corpos femininos. Não é só para as mulheres que o tempo é cruel. Nesta Casa de Repouso onde me encontro nem sempre posso ter a luz tão fraca como gostaria. E aqui existem espelhos, tantos espelhos...Deve ser uma forma de torturar quem dá trabalho aos outros. Vale-me, de novo, o facto de poder contar com a bondade dos desconhecidos.


Claro que a Stella vem visitar-me, aos fins de semana. Parece-me cada vez mais magra e mais pálida, agora que o bebé já gatinha. Quando falo de si ela vira a cara e eu vejo que sofre

Vai dizer-me, Stanley, que nós, personagens que somos, estamos preservados dos efeitos devastadores da temporalidade. Tem toda a razão, somos imortais e o nosso envelhecimento é suave.

Na televisão desta Casa vi vários filmes protagonizados por Marlon Brando. A voz dele...Quando a ele falava ou gritava, as mulheres calavam-se na sala de estar. Mesmo aquelas que não estavam a seguir os filmes. Ficavam estáticas, olhando aquela face, escutando aquelas entoações de homem com o lado de menino, ou de animal, prestes a saltar. Acho que foi isso que encantou tantas fêmeas durante a sua carreira – a criança e a fera que se aproximavam...


Quando o vi interpretar o velho “Padrinho” fiquei chocada. A fala estava diferente...ele estava tão pesado, tão dilacerado com a morte do Corleone filho...E quando assisti à morte do Don no jardim, sozinho com o neto, arrepiei-me de horror.

Onde estava o macho que incorporou a sua personagem, Stanley?
Aquele que fazia a moto chiar de paixão ou raiva?
O estivador de “Há lodo no cais”?
O paladino dos nativos americanos?
O guerreiro de Apocalypse Now?
Sabe, Stanley, antes de ver Marlon Brando na tela eu vira muito cinema em Nova Orleães. Apaixonara-me por Clark Gable e Errol Flynn, claro. Mas Brando era diferente, representava com o corpo todo. E naquela esfinge pulsava toda a alma de um homem.
Olhávamo-lo e tínhamos todos os mistérios masculinos diante de nós.
Era diferente de James Dean, o Jimmy era mais doce e morreu tão jovem que nunca consegui dissociá-lo da adolescência. Sabe como sempre fui sensível ao charme dos rapazes muito novos...mas talvez essa dimensão juvenil tenha sido inibidora de poder apreciar a sua virilidade.
Um homem com barba que cresce lentamente e que nos pica, um homem em cujos braços nos apetece gemer, um homem cujo hálito queremos sentir nos nossos lábios.
Stanley, por favor, neste momento de partida, junte a sua mágoa, orfã, à minha tristeza.
Ficar-lhe-ia grata se me fizesse uma visita, estou tão só.

Um beijo,

Sua, Blanche Du Bois

marlon-brando.jpg

"PS à carta da Dora... Foste um sonho, uma estrela. Eu fui todas as mulheres que morreram nos teus braços nas aventuras de celulóide. Fui uma estrela, em todas as vezes que o teu talento se cruzou comigo.
atuaLolita"
publicado por floreca às 00:48
link do post | comentar | favorito
|
23 comentários:
De Anjo lico a 11 de Julho de 2004 às 18:03
Bom post:)


De Dora a 4 de Julho de 2004 às 18:57
»»»»Obrigada, Ognid. Fico muito sensibilizada com as tuas palavras. Beijinho de continuação de bom domingo :-)


De Dora a 4 de Julho de 2004 às 18:55
»»»»Lia, obrigada pela tua visita a este cantinho.O Marlon Brando é tão vertebral, nas minhas referências artísticas, como as notas de música...Um beijinho para ti :-)


De Dora a 4 de Julho de 2004 às 18:52
»»»»Felizmente Michel de Garcia. É tão bom revisitar os lugares onde fomos felizes :-)


De Dora a 4 de Julho de 2004 às 18:50
»»»»Obrigada Anjo Élico, continuação de um domingo feliz :-)


De Dora a 4 de Julho de 2004 às 18:49
»»»»Fico contente com as tuas palavras, Armando. Ele merece muitos tributos sentidos. Continuação de bom domingo :-)


De Dora a 4 de Julho de 2004 às 18:46
Obrigada DonBadalo! Gentil, mais uma vez... :-)


De Dora a 4 de Julho de 2004 às 18:45
»»»» Analfabeto, foi sim :-(


De Dora a 4 de Julho de 2004 às 18:43
»»»» Olá, Wind, brisa sempre amigável :-). Obrigada pelo comentário e por teres lembrado a grande Sophia. Um beijinho para ti!


De Dora a 4 de Julho de 2004 às 18:41
»»»»Fly-away, o "eterno galmour", é isso mesmo que ele transportava para os nossos sonhos :-)


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Actualizar...

. Lá terá de ser...

. Estamos de volta

. Cumprir calendário...

. Pausa

. Mais uma mudança

. SORTE OU NÃO

. Postais ilustrados - 4

. Esta carta é dirigida aos...

. MIMO

.arquivos

. Maio 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Dezembro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds