Segunda-feira, 5 de Julho de 2004

Cartas gastas

Encontrei ontem, numa caixa velha, algumas cartas que escrevi para ti. Nunca foram enviadas porque, na verdade, eram mais cartas para mim. Dizia ali tudo o que precisava de gritar e não conseguia.
Abri-as calmamente, uma a uma. Sabia que ia encontrar marcas de lágrimas a borrar a tinta. Lembro-me dos momentos exactos e do que me levou a escrever aquelas cartas. Lembro-me que cada uma era uma espécie de vaso onde era depositada a raiva, a desilusão, a dor, até o amor. Cartas gastas.
Ontem li-as, de olhos secos. Virei-as para tentar encontrar marcas do que sentia, do que senti. Marcas havia mas já não eram legíveis por mim. Nada me comoveu, nada me transportou de volta aqueles sentimentos. Cartas de amor e dor de uma estranha para um estranho. Cartas muito gastas, prestes a desfazerem-se no tempo para que nada reste.
publicado por floreca às 22:42
link do post | comentar | favorito
|
20 comentários:
De almar a 8 de Julho de 2004 às 09:52
Helena: obrigada eu pelas tuas palavras e pela tua visita. Volta sempre. Bjs


De Helena a 8 de Julho de 2004 às 01:57
Lindo, lindo este blog. Obrigado por estes momentos de inspiração frente ao ecran...


De almar a 7 de Julho de 2004 às 10:30
Marta: acredita que o tempo tudo cura. Não apaga. Mas retira a dor. Beijinhos


De MARTA TEIXEIRA a 7 de Julho de 2004 às 09:05
Também já encontrei dessas cartas. Algumas arrependo-me de as ter guardado, pois tive medo de as enviar e de as destruir depois. Fizeram-me mal, porque abriram uma ferida que eu pensava estar sarada. Mas não as rasgei; talvez daqui a algum tempo as consiga ler sem me magoar!!! Um beijo. Tem um bom dia. Marta


De almar a 7 de Julho de 2004 às 08:28
ognid: pois há, as das boas recordações. Essas parece que não se gastam. Até por que não queremos que se percam no tempo. Bjs


De ognid a 6 de Julho de 2004 às 22:45
Há cartas ou recordações desse tipo. Mas também há muitas que quando as lemos/vemos/recordamos nos trazem um sorriso ao rosto, uma felicidade ao peito. Saudade não. Momentos tipo "it was the time of my life". Beijinhos


De almar a 6 de Julho de 2004 às 19:25
Wind: nisso tens toda a razão. Prendemo-nos por vezes em recordações e não vemos o que nos passa ao lado. Beijinhos


De wind a 6 de Julho de 2004 às 19:17
almar pode restar uma certa nostalgia se calhar de tempo perdido...E nesse tempo passaram pessoas que nem vimos...


De almar a 6 de Julho de 2004 às 11:22
Fly-away: são o nosso espelho, o nosso diário, a nosso contentor de alegrias e dores. Não escrevemos tantas que são mais para nós do que para serem enviadas? beijinhos


De Fly-away a 6 de Julho de 2004 às 10:34
Almar, "cartas para ti que são para mim " são afinal, o nosso espelho. Não?


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Actualizar...

. Lá terá de ser...

. Estamos de volta

. Cumprir calendário...

. Pausa

. Mais uma mudança

. SORTE OU NÃO

. Postais ilustrados - 4

. Esta carta é dirigida aos...

. MIMO

.arquivos

. Maio 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Dezembro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds